domingo, 22 de abril de 2018

Vila Teresinha ganha pista de skate

Construída em parceria com empresas, minirrampa pública terá aulas gratuitas da modalidade
Local terá aulas de skate | Foto: Guilherme Testa
Local terá aulas de skate | Foto: Guilherme Testa

  • Henrique Massaro
Acreditando no skate como forma de educação social, o Centro Esportivo Cultural Transformação, na Vila Santa Teresinha, no bairro Floresta, em Porto Alegre, inaugurou neste sábado uma pista pública. Construída através de parceria entre Centro Social Marista, a Associação Cultural Vila Flores e a Swell Skate Camp, com o apoio do Instituto Gerdau, o espaço público poderá ser utilizado pela comunidade local, que também passa a receber aulas gratuitas.
A construção da minirrampa simboliza mais um passo dos que vêm sendo dados no Centro Social Marista, que atende diretamente cerca de 120 crianças e adolescentes da comunidade local. De acordo com um dos responsáveis, irmão Miguel Orlandi, há cerca de um ano uma quadra esportiva coberta já havia sido inaugurada no local e a pista de skate, construída onde costumava ser uma cancha de bocha inutilizada, veio para reforçar o viés de integração social do esporte. “O skate, além de ser uma cultura, é uma modalidade importante para aproximar a comunidade e integrar o pessoal considerado invisível”, explica.
A ideia surge através do projeto de Vila a Vila, que é uma parceria do Centro Social com a Vila Flores que busca aproximar as duas entidades. A construção da pista, por sua vez, foi gerenciada pelo skatista e empresário Gustavo Tesch, proprietário da Swell Skate Camp, pista de skate de Viamão. Ele define a minirrampa como democrática, já que ela se caracteriza por ser uma pista que visa a diversão de quem a utiliza.
Durante o evento, crianças e adolescentes receberam aulas de skate que devem continuar duas vezes por semana no local. “O skate, por característica, é um esporte social. Uma pessoa que sabe andar em uma pista pública, geralmente sabe se comportar em público”, disse o professor e skatista Nicholas Kluge, da Escola Ande de Skate.
Além da construção da pista, as entidades envolvidas conseguiram a doação de diversos skates para serem utilizados pela comunidade local. Hoje skatista profissional de downhill slide – modalidade conhecida como “Fórmula 1 do skate” –, Tiago Mohr esteve no evento e sorteou um skate completo da sua marca patrocinadora. Oriundo também de um centro social, a Casa Marista da Juventude (Caju), na Vila Nova, ele ainda deu uma palestra para falar sobre os valores de espaços assim na formação dos jovens.
O evento de sábado contou ainda com diversas atividades culturais. Houve pintura de painel em grafite, apresentações musicais e workshops. A programação acompanhou o Dia Mundial da Criatividade 2018, data estabelecida por Resolução da ONU para o mundo inteiro

Aos 89 anos, morre no Rio cineasta Nelson Pereira dos Santos

Ele estava internado havia uma semana no Hospital Samaritano com câncer de fígado
Morre aos 89 anos cineasta Nelson Pereira dos Santos | Foto: Estadão Conteúdo / CP
Morre aos 89 anos cineasta Nelson Pereira dos Santos | Foto: Estadão Conteúdo / CP

  • AE
Morreu neste sábado, aos 89 anos, o cineasta Nelson Pereira dos Santos, um dos nomes importantes do Cinema Novo. Ele estava internado havia uma semana no Hospital Samaritano, na zona sul da cidade. Às 17 horas, a família confirmou a morte, em consequência de um câncer de fígado diagnosticado há 40 dias. Diretor de filmes fundamentais da história do cinema brasileiro, como "Rio, 40 graus" (1955) e "Vidas secas" (1963), ele realizou os últimos longas em 2012, os documentários musicais "A música segundo Tom Jobim" e "A luz do Tom". Além de dirigir, era também roteirista de seus filmes.
"Ele estava ótimo, não estava doente. Foi internado com uma pneumonia, na semana passada, que cedeu. Estava lúcido, mas cansado. Morreu sem dor, uma morte tranquila, com toda a família reunida", disse a publicitária Mila Chaseliov, sua neta. Nelson teve quatro filhos e cinco netos. "Foi um avô muito presente. A gente tinha muitas discussões intelectuais. Foi quem me ensinou a tomar uísque, num show, aos 19 anos. Eu me senti muita adulta na hora", contou. O cineasta participou da formação intelectual de netos, lembrou Mila. "Eu descobri como ele era importante ainda na escola. Todo mundo que eu encontro, quando descobre que sou neta do Nelson, fala do quanto ele é incrível."
Em 2006, Nelson foi eleito para a Academia Brasileira de Letras, na sucessão do diplomata Sergio Corrêa da Costa. Passou a frequentar a Casa de Machado com assiduidade. Atuava na programação cultural da instituição. Nelson nasceu dia 22 de outubro de 1928, em São Paulo. Formou-se advogado em 1952. A partir dos anos 1940, trabalhou como revisor e repórter de jornais como o "Diário da Noite" e "O Tempo", em São Paulo. Nos anos 1950, no Rio, trabalhou também no "Diário Carioca" e no "Jornal do Brasil". Mais tarde, seria professor da Universidade Federal Fluminense, de cujo curso de graduação em cinema foi fundador.

Especialistas da OPAQ recolhem amostras em Duma

Entidade investiga um suposto ataque químico ocorrido em 7 de abril
OPAQ investiga um suposto ataque químico ocorrido em 7 de abril | Foto: John Thys / AFP / CP
OPAQ investiga um suposto ataque químico ocorrido em 7 de abril | Foto: John Thys / AFP / CP

  • AFP
A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) anunciou neste sábado que seus especialistas coletaram amostras na cidade síria de Duma, onde estão investigando um suposto ataque químico ocorrido em 7 de abril. "A missão de pesquisa da OPAQ chegou a um dos locais da Duma hoje (sábado) para colher amostras", disse a organização em comunicado, que acrescenta que a equpe poderá fazer outra visita à cidade.
"As amostras recolhidas serão enviadas ao laboratório da OPAQ em Rijswijk (periferia de Haia), antes de serem distribuídas em vários laboratórios no mundo certificados pela organização", explicou o organismo encarregado de assegurar a destruição das armas químicas e evitar qualquer forma de seu desenvolvimento.

EPTC aposta na educação para reduzir mortes de motociclistas no trânsito

Ações foram realizadas em alusão aos 20 anos do órgão da prefeitura de Porto Alegre
EPTC aposta na educação para reduzir mortes de motociclistas no trânsito | Foto: Guilherme Testa
EPTC aposta na educação para reduzir mortes de motociclistas no trânsito | Foto: Guilherme Testa

  • Henrique Massaro
Entre as mortes causadas por acidentes de trânsito em Porto Alegre, a maioria ainda é de motociclistas. Somente em 2017, representaram cerca de 40% dos óbitos. Por esse motivo, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), que vem tentando se aproximar desses condutores com ações de educação preventiva, no mês em que completa faz aniversário de 20 anos, realizou mais uma atividade. Na manhã de sábado, foi promovido um encontro de vários grupos de motociclistas, com exposição de motos e moto-passeio pelas ruas da Capital.
“É uma ação de conscientização, porque hoje o motociclista é a principal vítima do trânsito. No ano de 2017 teve um número histórico de redução, 90 mortes durante o ano, mas o motociclista aumentou mais de 30%. A gente conseguiu reduzir todos os índices, menos o deles, que aumentou muito em relação a todos os outros”, explicou o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti.
Ele ressaltou que em 2018 a situação não é diferente. Apesar de haver uma redução significativa nos acidentes com morte – até 20 de abril de 2017, foram 28 e, até a mesma data deste ano, se registraram 18 óbitos –, a maioria deles continua sendo com motociclistas. Em 2017, por exemplo, mesmo com o número de acidentes envolvendo motos tendo reduzido 13%, os números ainda preocupam, porque as mortes aumentaram em 34% – de 26 a 34.
De acordo com Soletti, as maiores causas ainda são a alta velocidade, o uso de álcool ou a falta de habilitação. O diretor-presidente da EPTC acredita que ações educativas sejam a melhor forma de prevenir essas práticas. Segundo ele, já é possível perceber uma boa receptividade dos motociclistas, que costumam ser apaixonados pelo veículo e, assim, também são responsáveis por replicar a informação recebida pelos agentes.
Entre diversos grupos presentes no evento de sábado estava o Virando Roda. Formado em 2005, reúne amigos e anualmente realiza quatro viagens de motocicletas Custom pelo mundo. Conforme um dos integrantes, Celso da Silva, a ideia de reunir os admiradores em um evento é interessante, já que eles carecem de uma data pra um grande encontro. Ele espera que o dia 21 de abril possa permanecer do calendário dos amantes de motocicletas. A programação de de sábado foi realizada através de parceria da EPTC com a Associação dos Profissionais em Telecomunicações e Tecnologia da Informação (ASTTI).

Polícia Civil recupera punhal usado nas gravações de “O Tempo e o Vento”

Após gravações do filme de 2013, peça seria leiloada em benefício da Santa Casa
Punhal usado em gravações de filme foi recuperado pela Polícia Civil | Foto: Polícia Civil / Divulgação
Punhal usado em gravações de filme foi recuperado pela Polícia Civil | Foto: Polícia Civil / Divulgação

  • Tiago Medina
A Polícia Civil apreendeu nessa sexta-feira em Cruz Alta um punhal que foi utilizado nas gravações do longa “O Tempo e o Vento”, de Jayme Monjardim, em 2013. O objeto havia sido furtado provavelmente de um set das gravações. Inicialmente, a peça, forjada pelo cuteleiro Cássio Selaimen, seria leiolada, com o dinheiro arrecadado doado à instituição de caridade.
A Polícia encontrou a peça após ela ser adquirida por um homem de Cruz Alta, por meio de um leilão de uma casa do Rio de Janeiro. Após isso, fez a apreensão. O comprador prestou depoimento e foi ouvido como testemunha. “Ele apresentou o documento da compra. Em um primeiro momento, não houve dolo, nem culpa. Ele comprou de uma casa de leilões tradicionais. Foi ouvido, prestou todas as informações e forneceu os documentos da participação dele no leilão”, afirmou o delegado Josuel Muniz, titular da 1ª Delegacia de Cruz Alta.
Agora, resta saber como a peça foi parar na casa de leilões. “Vamos tentar fazer o caminho inverso do punhal. Apreendemos ele aqui em Cruz Alta. Vamos tentar apurar como ele chegou na casa de leilões, até estabelecer o momento que foi subtraído”, explicou. O comprador de Cruz Alta deverá ser ressarcido pelos leiloeiros.
Peça vale o preço de um carro
Conforme o delegado Josuel Muniz, o valor do punhal é estimado em cerca de R$ 25 mil devido a uma série de fatores: “Especialistas e colecionadores consideraram tudo o que envolve o punhal, como qualidade do material, estética, originalidade e grife Don Cássio Selaimen, além do valor histórico”. Nas gravações, o punhal pertencia ao personagem Pedro Missioneiro, vivido pelos atores Matheus Costa e Martín Rodríguez.
A peça ficará apreendida com a Polícia Civil até o fim do inquérito. Após o processo ser concluído, o punhal deverá ser encaminhado para a sua primeira finalidade, um novo leilão tendo como beneficiária a Santa Casa de Misericórdia, de Porto Alegre.

Polícia prende prefeito do PSDB acusado de abuso de menina de 8 anos

Ele teria raptado a vítima e se dirigido até uma mata em Bariri, interior de São Paulo

  • AE
O prefeito em exercício de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), foi preso neste sábado sob acusação de violência sexual contra uma menina de 8 anos. As informações foram divulgadas pelo SPTV e confirmadas pela Agência Estado.
Segundo a Polícia Militar, ele raptou a vítima e se dirigiu a uma área de mata, onde seu carro ficou preso em um buraco. A menina deixou o carro à pé e pediu socorro. Quando os agentes chegaram, ele tentava se esconder no meio do mato. Bariri tem 35 mil habitantes e fica a 300 quilômetros da capital paulista. A investigação é conduzida Central de Polícia Judiciária, em Bauru, próxima do município.
O tucano, que é presidente da Câmara Municipal, está no cargo como interino desde o início de 2017, quando o ex-prefeito e o vice da cidade foram barrados na Lei da Ficha Limpa após as eleições de 2016, em que se sagraram vencedores. A reportagem não obteve retorno da defesa do prefeito e nem do partido. A Prefeitura também não se manifestou.

PGR pede prorrogação de 60 dias no inquérito que investiga Jucá

Senador é investigado por falsidade ideológica, desvio de contribuição previdenciária e crime contra a ordem tributária
Romero Jucá é investigado no Supremo Tribunal Federal | Foto:  Rodrigo Pozzebom / Agência Brasil / CP
Romero Jucá é investigado no Supremo Tribunal Federal | Foto: Rodrigo Pozzebom / Agência Brasil / CP

  • AE
Em manifestação enviada na quinta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pede a prorrogação pelo prazo de 60 dias para a conclusão da investigação que tem como alvo o senador Romero Jucá (PMDB-RR). O peemedebista é investigado pela suposta prática dos crimes de falsidade ideológica, desvio de contribuições previdenciárias e crimes contra a ordem tributária.
O inquérito apura se o senador é sócio oculto da TV Caburaí, afiliada à Rede Bandeirantes em Roraima, e eventuais repasses de recursos em benefício de Jucá, por meio da empresa Uyrapuru Comunicaçãoes e Publicidade, gestora da rede de televisão de Boa Vista, capital do Estado. Após o levantamento de sigilo bancário da empresa em 2017, relatório do Ministério Público Federal apontou que não foram identificados pelas instituições financeiras os principais beneficiários dos recursos movimentados nas contas bancárias da Uyrapuru, bem como os principais depositantes dos valores em espécie nessas contas.
Raquel pede a identificação do proprietário, matrícula e registro do imóvel sede da Uyrapuru, em Canarinho, Boa Vista (RR). "Tem-se que tal informação pode ser útil à identificação dos reais responsáveis pela gestão da empresa", justificou Raquel em seu primeiro pedido, em janeiro. A determinação da procuradora-geral acompanha o pedido do delegado da Polícia Federal Severino Moreira da Silva, que, em março, solicitou prorrogação pelo prazo de dois meses para a continuidade das investigações pendentes e realização de outras diligências que se fizerem necessárias.
O inquérito havia sido arquivado em junho de 2010 pelo ministro Gilmar Mendes por não ter sido requerido pelo então procurador-geral da República perante o Supremo e tendo em vista que não houve conclusão de procedimento administrativo fiscal. À época, o ministro não verificou a existência de elementos suficientes que permitissem a abertura de inquérito judicial contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR), sua esposa e quatro filhos. Segundo o ministro, "o presente inquérito fundamenta-se exclusivamente em e-mail remetido por desafeto dos investigados e em matérias jornalísticas lançadas na internet que derivam daquilo que foi noticiado por Geraldo Magela Fernandes da Rocha, em sua denúncia voluntária ao Ministério Público Federal. Nenhum documento consta dos autos e não há qualquer outro começo mínimo de prova documental".
Advogado fala em enfraquecimento do Congresso
"Os problemas que nós temos com essa investigação criminal que não acaba nunca é a superexposição que leva, no meu ponto de vista, ao enfraquecimento enorme do Congresso Nacional. É claro que todas as pessoas têm que ser investigadas se tiver motivo, mas a Procuradoria tinha que ter a responsabilidade de fazer isso num prazo menor possível", afirma o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende Romero Jucá.
"Estamos vivendo um superativismo do Poder Judiciário exatamente porque a Procuradoria da República enfraqueceu o Poder Legislativo e nós temos um Executivo sem nenhuma legitimidade. Então nós vivendo um empoderamento, como disse o ministro Gilmar Mendes, do Ministério Público Federal e do Poder Judiciário. É lamentável que essas investigações se prolonguem por prazo indeterminado e extremamente longo. Os casos no Brasil, infelizmente, não geram nenhuma expectativa de encerrar. Essa completa incompetência do Ministério Público que quando não usa do abuso de acusar usa do abuso de investigar indefinidamente", afirma o advogado em nota.